sábado, 15 de julho de 2017

SENHORA DEPUTADA SÃO MUITO MAIS IMPORTANTES OS CONHECIMENTOS ÚTEIS DO QUE OS INÚTEIS!


Não é que tivesse achado estranha a atitude da Senhora Deputada Sara Madruga da Costa (PSD-M). Pelo que leio e pelas reacções vindas a público, trata-se de um continuum que caracteriza a sua prática política. Dizia-me, há muitos anos, o Professor Doutor Salvato Trigo, no decorrer de uma aula sobre "comunicação social", que há pessoas que andam sempre à procura do anormal. Reflecti, através das suas exposições, que "é, indiscutivelmente, mais importante transmitir os conhecimentos úteis, porque os inúteis cada um que os obtenha por si só". Os úteis são importantes porque trazem no seu bojo uma aplicação prática.

Deputado Luis Vilhena

Estive para não escrever uma linha sobre o comunicado da Senhora Deputada do PSD-M. Porque considerei inútil preocupar-se com o facto do Deputado Carlos Pereira (PS-M) ter questionado o Primeiro-Ministro sobre o novo hospital e não ter obtido resposta imediata (debate sobre o Estado da Nação). Quem foi ou é deputado sabe, que quando interpela o governo, há sempre respostas que ficam por dar. Muitas vezes necessário se torna "reformular a questão". Voltar a insistir. Depende do tempo disponível, da relevância de uns assuntos em relação a outros, do próprio ambiente do debate, enfim, há múltiplas situações que se jogam no calor do debate político. É assim, não há volta a dar.
Repito, estive para não comentar, mas o comunicado do Deputado Luis Vilhena (PS-M), sinceramente, aguçou-me o apetite. Eis uma parte do texto seleccionado pelo DN-Madeira:
“Seria muito mais profícuo para os madeirenses que a deputada Sara Madruga da Costa, em vez de apontar o dedo aos seus colegas de outros partidos, por fazerem o seu trabalho, tentasse arranjar espaço dentro da sua bancada parlamentar para colocar questões” (...) “É mais fácil dizer que o ‘deputado x’ ficou sem resposta do que explicar porque é que a própria nem sequer pergunta fez”, acrescentou. “Diz tanto de quem se põe em bicos de pés para cavalgar o trabalho alheio, como quem reproduz sem fazer as perguntas que se impõem”, criticou. Foi este o sentimento que tive quando li a declaração da Senhora Deputada. As velhas "escolas" partidárias não contam nos dias de hoje.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: